Como reduzir minha dívida no cheque especial?


Nesse produto bancário os juros abusivos saltam aos olhos, sem contar as inúmeras taxas e tarifas de manutenção debitadas em conta de forma inexplicáveis. O consumidor como sempre desatento, sequer percebe as cobranças indevidas. Para piorar a situação quando o “amigo gerente” percebe que o limite do cheque especial vai explodir, ele o chama oferecendo um empréstimo para compor o saldo devedor e ou renegociação. Lembre-se, ao fazer isso, você estará no mínimo dobrando o valor de sua dívida, e essa certamente não é a alternativa mais inteligente para resolver seu problema. Para reduzir sua dívida do cheque especial, os primeiros passos a serem seguidos são:

  • Pare imediatamente de utilizar o limite;
  • Não faça empréstimos e ou renegociações para cobrir o limite do cheque especial, mesmo que os juros oferecidos sejam menores. Lembre-se, dívida se paga com o que se ganha e não com novos empréstimos.
  • Jamais aceite propostas de acordo cujo valor da parcela mensal seja superior a 20% da sua renda;
  • Caso o banco não aceite a sua proposta, suspenda os pagamentos, e poupe o dinheiro aplicando-o da forma correta para pagar essa dívida no futuro com descontos que podem chegar a 90% dos saldo devedor. Isso mesmo é possível reduzir a dívida em até 90%.

Clínica Financeira - A solução rápida e definitiva para suas dívidas

Entre em contato pelo chat ou ligue para nossa equipe

Como agendar uma consulta e o que devo levar?

As consultas devem ser agendas através dos telefones das nossas unidades (11) 3564-3829 / (11) 2950-4926. Traga os extratos da sua conta corrente a partir da data em que você começou a utilizar o limite do cheque especial, bem como contratos de empréstimos cujas prestações sejam nela debitadas. Caso você não possua esses documentos o Perito Financeiro poderá solicitá-las junto ao banco que você está com dívida.

Quer saber mais? Então confira as dicas do especialista Marcelo Segredo de como sair do vermelho no vídeo ao lado: